11/12/2017 Mercado

Parcão: manutenção constante

imagem da notícia

O Parque Moinhos de Vento, que tem como ícones a réplica de um moinho açoriano e o monumento a Castelo Branco – obra do escultor Carlos Tenius –, oferece múltiplas opções de lazer e para a prática de esportes, assim como espaços para a convivência, eventos sociais e culturais e contato com a natureza em seus 115 mil m² de área. Para manter todas as estruturas, o Parcão conta com uma equipe formada por seis funcionários e uma administradora, a engenheira agrônoma Susete Teston. “A Susete coordena todas as atividades do local, tanto as da Smams como as dos adotantes, colhe as demandas dos frequentadores, orienta sobre o bom convívio no parque e informa sobre eventos, sendo responsável, com o apoio dos servidores, por zelar pelo patrimônio do Parcão”, explica supervisora de Parques, Praças e Jardins da Smams, a engenheira agrônoma Gabriela de Azevedo Moura.

Susete revela que a gestão do parque é feita com base no tripé identificação, planejamento e execução. “Todos os dias faço uma vistoria pela região, verificando os serviços que precisam ser efetuados com prioridade. Além disso, temos um planejamento semanal do que deve ser feito para assegurar a manutenção dos ambientes”, comenta. Varrição e coleta de folhas e galhos caídos, programação da poda das árvores (para que elas mantenham a altura ideal, garantindo a iluminação e a segurança), limpeza das lixeiras, alimentação dos animais (como patos, tartarugas e cágados), conferência do funcionamento de bebedouros e demais equipamentos (como bancos e brinquedos) e conservação dos passeios fazem parte das tarefas rotineiras dos servidores. “Temos um grupo antigo que conhece todos os detalhes do Parcão, tem uma longa vivência sobre como é o dia a dia no lugar e que, em parceria com os funcionários contratados pelos adotantes, realiza um importante trabalho para a manutenção do parque”, avalia. 

A administradora do Parcão acrescenta que há uma afinidade grande entre as equipes que estão atuando na localidade, com uma troca e apoio significativos de todos os lados. “Com a adoção, está ocorrendo uma complementação dos serviços, estão todos em sintonia com o propósito de conservar o parque”, destaca Susete. Além da Smams e das empresas, os usuários também se envolvem nos cuidados com o Parcão à medida que apontam o que desejam para as áreas e os elementos que faltam e fiscalizam as ações executadas. “Eles são fundamentais como indicadores de qualidade dos trabalhos prestados pela Secretaria e pelas companhias adotantes”, aponta a engenheira agrônoma Gabriela. 

-----

Fonte: Melnick Even Magazine – Interna Projetos Editoriais
Jornalista: Tatiana Gappmayer
Foto: Rodrigo Stobäus