05/09/2019 Mercado

Grupo de mães da Encol troca experiências e apoio

imagem da notícia

A praça Carlos Simão Arnt, mais conhecida como Encol, foi o ponto de partida para que uma turma de mulheres que frequentam o local com seus bebês, com idades entre 1 e 2 anos, formassem uma rede de apoio. As quase 20 pessoas que compõem hoje o Mamães da Encol conheceram-se no playground, onde cada uma ia passear e brincar com o seu filho. Aos poucos, elas foram se aproximando e trocando ideias e informações sobre maternidade e, em janeiro de 2018, a partir da sugestão de Tiele Nogueira, mãe do Teodoro, de 1 ano e seis meses, elas se uniram, montaram um grupo no WhatsApp e criaram laços fortes. “Todo dia, de manhã e de tardezinha, íamos sozinhas para a praça e ficava cada uma no seu canto até que passamos a conversar”, recorda a advogada Carla Gordim Zani. Assim como as outras participantes, ela é moradora do entorno da Encol e costuma levar Clara, de 1 ano e quatro meses, para se divertir no espaço.  

Adotada em 2013 pela Melnick Even, a praça possibilitou o encontro dessas mulheres. “O lugar é seguro, bonito, arborizado”, comenta Carla. Ela acrescenta que outro benefício do ambiente é sua organização, com local para os cachorros, para as crianças pequenas e para as atividades físicas. “A sensação é de que a Encol é uma extensão do jardim de casa. A gente se sente meio que dona dela”, brinca. Durante as obras de reforma do playground, o grupo passou a se encontrar na residência de uma das mães. Quando os novos brinquedos e as melhorias do espaço foram entregues – como o inédito piso emborrachado, Carla fez uma solicitação à construtora e incorporadora para que trocassem dois dos balanços para crianças maiores por dois para bebês, totalizando quatro. “Antes da mudança, havia fila para usar o equipamento. Fiz o pedido e fui prontamente atendida, fiquei superfeliz”, salienta Carla. 

“Temos laços fortes entre nós e uma empatia muito grande, acolhemos umas às outras e as novas mães que chegam à praça.” Carla Gordim Zani, advogada


Amamentação, cansaço dos pais, sono, alimentação, como escolher a escola para os pequenos e até mesmo promoções de fraldas são alguns dos temas mais debatidos entre o grupo. “Uma empatia muito grande acabou se desenvolvendo entre nós, com todo mundo se ajudando”, observa. E esse acolhimento elas levam às novas mães que chegam à praça. “Nos aproximamos para conversar, fazer amizade e convidar para entrar no Mamães da Encol”, explica a advogada. Mas, não é só lá que essas mulheres se reúnem. Mensalmente, elas saem para jantar e confraternizar, reforçando os vínculos que as ligam. 

A convivência entre elas levou também a transformar a praça em local de celebração. Carla ressalta que as mães já fizeram piquenique para comemorar aniversários das crianças, festa de Halloween e de Natal e no carnaval montaram o bloco “Tinha tempo e não sabia”. “Na parte detrás da camiseta que usamos no evento do (Grêmio Náutico) União tinha a #MamãesdaEncol”, descreve. Ela conta ainda que na Páscoa esconderam ovinhos pela praça para os pequenos procurarem. “Para as crianças que ainda não vão para a creche, a Encol é muito importante para a socialização. A primeira turma da vida delas vai ser a da praça!”, enfatiza.

Fonte: Melnick Even Magazine – Interna Projetos Editoriais
Fotos: Divulgação e Marlon Bickel